sábado, 1 de fevereiro de 2014

Leituras de Janeiro e uma aventura medieval

OLÁ!!!

Hoje venho falar das minhas leituras de Janeiro. 
No inicio do mês tinha planeado ler 4 livros mas acabei por ler apenas estes dois



Eu gosto de ler com calma, não tenho pressa em terminar um livro, a não ser que esteja muito curiosa para saber como acaba, mas isso é entusiasmo e não esforço.

Foi o que me aconteceu com Os Maias, como sabem eu gosto muito da escrita do Eça e este livro é uma obra sensacional carregada de pormenores, ao contrário da maioria das pessoas eu acho divertida e ao mesmo tempo profunda. 
Levou-me a fazer comparações com a actualidade e em questões de pátria e governo parece não ter mudado nada desde o séc. XIX.

Sobre Os Maias já falei aqui:

Agora O BOBO, de Christopher Moore...

AVISO
É uma história indecente, onde encontrará cópulas gratuitas, assassínios, espancamentos, mutilações e profanidade, a níveis até hoje inexplorados. Bem como uma gramática não tradicional, infinitivos com advérbios pelo meio e cenas ímpares de masturbação...
se acha que gostou desse tido de situações, descobriu o livro perfeito! 

E é assim que o autor nos abre a porta para esta aventura medieval. 
Sim...!! Contêm gramática pouco tradicional.
A escrita de Christopher Moore, não se compara a nada do que já li antes... Tenho "O Anjo mais estúpido" em casa, mas nunca li. Decidi pegar nele nestes dias e vi que também contêm um aviso do género.
Logo, os livros deste senhor, não são para oferecer a avó, nem aos filhos, talvez aos pais também não seja boa ideia!!

Sinopse: Homem de infinita graça, Pocket foi o bobo acarinhado de Lear durante anos; desde a época em que as filhas adultas do rei - a egoísta e ardilosa Goneril, a sádica Regan, (mas sexy a ponto de despertar fantasias eróticas), e a doce e leal Cordélia - eram apenas raparigas. Naturalmente que Pocket fica do lado do seu velho e tonto amo, quando Lear - insidiosamente encorajado por Edmund, o bastardo (em todos os sentidos possíveis e imaginários) - exige que as filhas lhe jurem o seu amor e devoção perante um grupo de convidados. É óbvio que Goneril e Regan ficam radiantes por poder lamber o rabo ao pai, enquanto Cordélia acha o pedido um tanto… bom… um tanto estúpido e a sua rude honestidade acaba por lhe custar a parcela do reino, que seria sua por direito, ainda acabando por ser expulsa ao pontapé. Agora, Pocket terá de recorrer a manobras bastante sofisticadas - lançar feitiços, instigar assassínios e provocar uma ou duas guerras (a treta do costume) - para conseguir que Cordelia volte a cair nas boas graças do Pai Lear, frustrando as manobras demoníacas das perversas irmãs e salvando de repetidos espancamentos o aprendiz de bobo, Drool, seu amigo gigantesco, desmesuradamente lerdo e invariavelmente lascivo … sem se esquecer de fornicar com todas as jovens apetecíveis… que pelo caminho se disponham a tal. Pocket pode ser um Bobo… mas não é um idiota.

Eu diverti-me muito com este Bobo, todos nós devíamos ter um pouco dele. Verdadeiro, directo, prático... Observador e perito em descrever situações hilariantes que pintam quadros completamente surreais na nossa mente... 
Ao inicio estranhei a linguagem, não por pudor, apenas por não estar muito habituada. Este livro é viciante, numa tarde de domingo a lareira li metade, de sorriso parvo na cara.

Quero ler mais Christopher Moore!! 



Alguém já leu? O que acharam?

Espero ler mais um pouco este mês! E vocês o que andam a ler?

Beijo e boas leituras! =)