terça-feira, 23 de setembro de 2014

Férias a passear 2# - São Romão e Alvoco da Serra

Olá!

Aproveito mais um pausa no trabalho para dar a conhecer mais uns locais que visitei nas minhas férias. Já falei da minha visita a Guarda e Belmonte e hoje venho falar de duas terras do concelho de Seia, distrito da Guarda.

No segundo dia de férias decidimos não ir muito longe, só tínhamos a tarde para passear e o céu estava carregado de nuvens, prontas a desfazer a qualquer momento.
Decidimos portanto fazer uma visita rápida à família que mora em S.Romão, Seia, aproveitar para fazer geocaching e levar o pirata a conhecer um Quartel dos Bombeiros, sonho de a muito tempo.

São Romão fica a cerca de 45min de viagem, e muitas curvas, muitas mesmo. 
Almoço tratado, Gps na bolsa, lancheira cheia e fizemo-nos a estrada. 


Sempre que vou para aqueles lados da serra gosto de pensar que piso as mesmas terras que Viriato terá pisado. :)


São Romão (já fui tão feliz ali...) - São Romão é uma vila do concelho de Seia, considerada mesmo a mais rica do município, em recursos naturais e em termos Patrimoniais, situada na imensa Serra da Estrela, numa região de bonitas paisagens naturais, onde nasce o rio Cobrão. 
A vila tem origens bem antigas, como se pode observar nos vestígios do seu Castro bem anterior à nacionalidade, que terá dado origem ao desenvolvimento da povoação original, e o “Buraco da Moira”, um sítio arqueológico cuja ocupação remonta ao Período Calcolítico (cerca de1200 a.C.). 
São Romão chegou, inclusivamente, a ser sede de concelho no século XVIII, mas foi perdendo importância administrativa. 
A indústria de lanifícios foi, durante mais de duzentos anos, a principal fonte de subsistência da população, repartindo-se entre a actividade agrícola e hoje em dia, noutras indústrias em profuso desenvolvimento, destacando-se a produção do afamado Queijo da Serra da Estrela. 
Em São Romão vale a pena conhecer a Igreja Matriz, a Capela do Santo Cristo, o Santuário de Nossa Senhora do Desterro, de onde se avista a curiosa “Cabeça da Velha” e o interessante Museu de Arte Sacra 
A paisagem circundante é de grande beleza, como se pode avistar do alto Senhor do Calvário e Moita, com uma vista de fazer perder a respiração, ou no já referido lugar da Senhora do Desterro, nas margens do fabuloso Rio Alva, onde se situa o Museu Nacional da Electricidade e a agradável Praia Fluvial.              (texto retir de pagina do facebook)


No passado dia 21 de setembro, São Romão comemorou os 500 anos do Foral Manuelino. Segundo o meu Tio contou, aquela vila teve grande importância histórica e chegou a ser sede de concelho, mas uma noite foi "vendida" a Seia a esta passou a ser a sede. Sempre ouvi falar da rivalidade das duas terras o que achava natural pois são vizinhas, mas pelos vistos é uma rivalidade com tradição.

Não conhecia este dado histórico, nem o passado da vila de S.Romão. 
Esta comemoração despertou-me para esse facto e na próxima visita vou querer conhecer todos os locais marcantes. Já passei lá bons momentos e sempre gostei da vila mas saber destes dados tão importantes dá-me mais vontade de voltar e descobrir todo esse passado. 
Segundo a W. Viriato de 147 a 139 a. C. , fez do "Crasto" uma das suas bases estratégicas na luta contra os Romanos. ( ;) )


Depois de um lanche, com uma magnifica paisagem e um céu carregado de chuva seguimos caminho para Alvoco da Serra, aldeia pela qual já tínhamos passado, mas deixamos a visita para o retorno a casa. 

Alvoco da Serra- Freguesia portuguesa do concelho de Seia constituída por cinco localidades: Alvoco da Serra (sede da freguesia), Outeiro da Vinha, Vasco Esteves de Baixo, Vasco Esteves de Cima e Aguincho. Recebeu foral de D. Manuel I em 17 de Fevereiro de 1514, como concelho. Titulo que manteve até 1836. Passou a pertencer ao concelho de Loriga. Actualmente integram o concelho de Seia.

De Alvoco conhecia apenas as paisagens, passei vezes sem conta pela estrada, fiz geocaching nas imediações da aldeia e sempre achei uma terra muito bonita com paisagens fantásticas. A ultima visita que tinha feito, foi na altura do Outono e senti-me no paraíso. Sem exagero, adoro este lado da Serra da Estrela e nunca esquecerei essa visita. 
 

Como já referi o que conhecia de Alvoco eram algumas paisagens e a estrada, nunca tinha descido a aldeia. 
O que lá encontrei deixou-se espantada. Para além de muito bem cuidada, contem vestígios judaicos. Sei que tem vestígios românicos, mas desconhecia de todo que por aqui se tinham fixado judeus. 
Este dado vai "obrigar-me" a uma grande pesquisa e posteriormente, uma longa visita de estudo. 

(Acho que vou ter de juntar "professor de história", à minha lista de Amizades que preciso fazer, pois certamente me darão um jeitaço)  

Acho que já me estou a alongar muito, mas antes de terminar quero aconselhar toda a gente a fazer Geocaching. Parece estranho para alguns andar a procura de caixas perdidas mas se não fosse esse jogo eu nunca descobriria locais como estes que venho falando. Não conheceria a sua história, os seus locais de relevo, os habitantes e muitas nem tinha visitado. O geocaching mudou completamente o meu conceito de passear. Estou mais atenta, mais curiosa, mais culta e mais feliz. 

No caso desta aldeia, descemos à povoação para retirar alguns dados para duas multi-cache. Abençoadas, que nos mandaram depois para sítios perdidos nos montes. Terei de fazer essas caminhadas um dia destes. 

Fica o registo fotográfico.   


E uma recuperação bastante original.
Ainda pensei tratar-se de uma casa museu mas é simplesmente uma casa recuperada por um habitante com gosto na tradição. Gostei muito! 

  

Espero que tenham gostado e ficado com vontade de visitar. 
Esta zona da Serra da Estrela é muito bonita e espera pela vossa visita. Pesquisem e conheçam Loriga, a aldeia que separa esta duas que falei. É também digna de visita, riquíssima a nível histórico e paisagístico. 

Obrigado por lerem até ao fim. Acreditem que deixei muito por falar e o que conheço é mínimo. 
Em breve volto para vos falar de uma aldeia de xisto!

Beijinhos