domingo, 14 de julho de 2013

Desafio "Um livro por mês" (1)

A uns meses comecei a colaborar com o "Jornal da Banda", com um espaço dedicado a leitura. O desafio é levar por toda a gente a ler pelo menos um livro por mês. "Um livro por mês", é assim que se chama o meu espaço no jornal, onde falo de um livro, do seu autor e da minha opinião. 

O primeiro livro que falei foi A CULPA É DAS ESTRELAS, de Jonh Green.. 

Aqui fica parte da minha resenha.

Sinopse

Apesar do milagre da medicina que fez diminuir o tumor que a atacara há alguns anos, Hazel nunca tinha conhecido outra situação que não a de doente terminal, sendo o capítulo final da sua vida parte integrante do seu diagnóstico. Mas com a chegada repentina ao Grupo de Apoio dos Miúdos com Cancro de uma atraente reviravolta de seu nome Augustus Waters, a história de Hazel vê-se agora prestes a ser completamente rescrita.

A história é narrada por uma jovem de 16 anos de idade com cancro em fase terminal, chamada Hazel, que é forçada pelos seus pais a participar num grupo de apoio. A ideia não lhe agrada muito no início, mas eis que conhece Augustus Waters, por quem se apaixona. Ele também sofre de um cancro, mais ou menos controlado, mas que já lhe levou uma das pernas. Como se não bastasse o melhor amigo deles tem cancro nos olhos e fica cego.
Á primeira vista pode parecer que é um livro dramático, mas não é bem assim. É sensível, tem algumas partes mais tristes (algumas muito tristes como é de prever), frases marcantes, mas o livro para além da história do romance entre Hazel e Augustus, tem um mistério. Querem  descobrir o final de um livro que eles gostam muito mas que acabou de uma forma inesperada, bem, digamos que livro não tem final, simplesmente acaba sem ter terminado. O autor nunca terminou a sequela. Eles decidem entrar em contacto com o autor, que nunca mais escreveu, sabe-se lá porquê, mas eles querem muito saber como termina a história daquele livro. Eu não posso contar mais nada pois não ia ter graça ler. Vão ter de ler para descobrir. Apenas posso dizer que é um livro que se lê muito rápido, a escrita de John Green é muito simples, cativante, enternecedora, adorei.
Hazel tem cancro na tiroide e carrega consigo o cilindro de oxigénio, todo dia, Augustus tem cancro nos ossos e usa uma prótese, pois foi amputado e o amigo deles, Isaac tem cancro nos olhos, vai acabar por cegar e usa uns óculos que lhe fazem os olhos parecer enormes. Ao longo do livro fui surpreendida com a simplicidade com que o autor descreve o dia-a-dia destas personagens e fez-me refletir a cerca do modo como por vezes olhamos para as pessoas com certos problemas de saúde. As personagens são divertidas, inteligentes, cativantes e muito reais. Qualquer adolescente vai identificar-se com uma ou mais personagens e quem já passou essa fase como eu, vais fazes algumas viagens ao passado.
É um livro que faz pensar na vida e na morte, no destino e na nossa existência. É surpreendente. Eu podia dizer tanta coisa sobre ele. Têm de ler para entender!

Boa notícia…. O livro está a ser adaptado para filme, as filmagens estão previstas começar ainda este ano e estão a cargo da mesma produtora da saga “Crepúsculo”… promete e esperemos que seja fiel ao livro.
  

“… a voraz ambição dos humanos nunca é saciada pela concretização dos sonhos, porque existe sempre a ideia de que tudo pode ser feito de novo e melhor.”

“Seja como for, os verdadeiros heróis não são as pessoas que fazem coisas; os verdadeiros heróis são as pessoas que REPARAM nas coisas, que prestam atenção.”

Boas Leituras