domingo, 6 de março de 2016

Leituras e aquisições de fevereiro de 2016

Olá!

Mais uma vez andei sumida do blogue. Mais uma vez por uma boa razão; trabalho a mais. As leitura foram escassas e apenas vim para publicar um canções com história sobre Carlos Paião (podem ver aqui) que fui "obrigada" a fazer para o Jornal da Banda.  
Foi uma mês cansativo e cheio de emoções que vou digerir por algumas semanas ainda, mas espero que isso não me atrapalhe a leituras, busca pelo saber e a partilha de conhecimentos
Foi um mês de poucas leituras mas com várias aquisições por isso não se perdeu muito ;)

LEITURAS

No inicio do mês estava cheia de energia e confiante que ia cumprir o plano (aqui), mas foi impossível e apenas li dois livros.
O primeiro numa noite e o segundo arrastou-se todo mês e terminei hoje. 

Este livro incrivelmente viciante narra a história de Cecília, uma jovem que cedo descobriu o quão terríveis podem ser as pessoas mesmo aquelas que deviam proteger-nos. 
Cecília é vendia pela própria mãe a um homem completamente desumano que a torna sua escrava submetendo-a a uma vida de dor e sofrimento. É Laerte que vai fazer de tudo para libertar a pobre rapariga de tanta violência, vivendo com ela uma fuga intensa e angustiante onde a luta pela sobrevivência é uma constante.

Podem consultara a opinião completa aqui
É um livro que vale muito a pena ler.



Já há bastante tempo que andava a adiar a leitura deste livro. Já ouvi falar tão bem da Jane Austen e a curiosidade era imensa. 
Terminei o livro hoje mas como a maior parte foi lida durante o mês passado vou considerar uma leitura de fevereiro.
A opinião vou escrever em breve mas posso adiantar que gostei bastante do enredo. Jane Austen faz uma critica à sociedade da época, da importância dos estatutos, dos bons casamentos (negócios) e das aparências. A história gira à volta da família Bennet e nela encontramos personagens bem diferentes umas das outras, com feitios completamente opostos e é nas mais fúteis e irritantes que vamos ver todas aquelas preocupações com os bons casamentos. 
Este é um romance que tem como protagonistas Mr.Darcy e Elizabeth Bennet. Confesso que gostei muito da forma como se conhecem e vai surgindo o seu interesse, mas a enredo vai muito mais além do que uma simples história de amor.
Ainda estou a digerir um pouco o livro, muito por culpa de ter visto antes a série da BBC de 1995 que tem como Mr. Darcy o actor Colin Firth. Fiquei muito apaixonada e vi a série numa noite só. A série parece-me bem fiel ao livro, mas vi com muito mais entusiasmo do que li o livro mesmo estando a gostar. É possível que isso tenha influenciado a minha leitura por isso tenho de reflectir um pouco mais antes de escrever a opinião. Talvez veja a série de novo entretanto :P

Com esta leituras cumpri dois desafios do ano, ler um clássico por mês e ler pelo menos um autor português por mês.

AQUISIÇÕES

Em fevereiro juntei mais 4 livros às minhas estantes. 
Fiz a minha primeira compra do ano, que já comecei a ler e tenho muita esperança que me tire deste estado de espírito (tipo um não sei quê, estranho, uma ressaca pós semanas intensas de trabalho e novos contactos). Sou fã assumida de humor negro, daquele que até me envergonho de rir e depois de ouvir uma entrevista com Rui Sinel de Cordes para promover o seu novo livro não resisti a comprar.

Sinopse:
Os piores hábitos dos portugueses.

«O nosso objectivo era fazer o melhor que pudéssemos para caracterizar Portugal, de forma geral, em nove episódios de temas diversos. Queríamos criar uma Bíblia de costumes, tradições, taras, defeitos e manias (meti o «defeitos» ali no meio, porque ficava estranho «taras» e «manias» junto) dos portugueses. Não seremos nós a dizer se conseguimos ou não. Resta-nos a glória de podermos afirmar que tudo o que está neste livro, aconteceu na realidade.» – Rui Sinel de Cordes

Very Typical é o livro humorístico que retrata os piores hábitos dos portugueses, dividido pelos seguintes temas: férias, noite, as dez pessoas que não deviam existir, mulheres, homens, as dez piores coisas que podem acontecer a um português, tradições, redes sociais e música.
Sempre com uma visão mordaz que choca as sensibilidades mais conservadoras, que não se inibe de exemplificar com personalidades nacionais e internacionais, Rui Sinel de Cordes retrata o povo português com a intensidade e a caricatura que o humor levado ao extremo permite. 

As restantes aquisições foram ofertas de aniversário. Podem obter mais informações sobre os livros aqui.

E o vosso mês de fevereiro como correu?
O que andaram a ler e que livros novos chegaram às vossas mãos?

Beijinhos e boas leituras ;)