terça-feira, 3 de novembro de 2015

Divulgação - A Revolução da Mulher das Pevides de Isabel Ricardo


Já ouviram a expressão popular “A revolução da mulher das Pevides”?

Acredito que a maioria não conheça até por se tratar de uma expressão específica de um local. Eu era um desses casos até me cruzar com mais um livro da talentosa Isabel Ricardo.

Isabel Ricardo viveu parte da sua vida na Nazaré e sempre se interessou pelo seu passado histórico e foi lá que um dia ouviu esta expressão. Utilizada quando se pretende dizer que algo é insignificante, alude ao facto da população deste lugar, apenas armada de paus, pedras e da sua coragem, se ter revoltado contra os soldados franceses, conseguindo derrotá-los e expulsá-los. Embora a expressão tenha essa intenção, a atitude do povo nazareno, foi tudo menos isso.



Chancela: Saida de Emergência

Coleção: A História de Portugal em Romances

Data 1ª Edição: 06/11/2015

ISBN: 9789896378554

Nº de Páginas: 544

Dimensões: [160x230]mm

Encadernação: Capa Mole




Sinopse:
Os exércitos de Napoleão ocupavam Portugal. Uma mulher, armada apenas da sua beleza e argúcia, vai despoletar a revolução para os expulsar 

Perante os canhões e as balas dos exércitos franceses, Ana Luzindra só tinha uma arma: a sua beleza. Mas a beleza também pode ser mortal.

A Revolução da Mulher das Pevides transporta-nos para os anos de terror das invasões francesas. A morte e a crueldade marchavam lado a lado com os exércitos veteranos de Napoleão. E enquanto a Família Real fugia para o Brasil, o povo ficava para suportar todo o tipo de humilhações.
Na vila da Nazaré, Ana Luzindra é parteira de profissão e uma mulher simples. Para fazer frente aos canhões e balas dos franceses só tem uma arma: a sua estonteante beleza. Atraindo-os, um a um, para a morte na calada da noite, a jovem inspira toda uma comunidade e pegar em pedras e paus para expulsar os invasores.
A Revolução da Mulher das Pevides, expressão da Nazaré que significa “algo insignificante”, foi tudo menos isso: pelo sobressalto que pregou aos franceses, e pela posterior vingança desproporcionada que estes praticaram sobre a Nazaré, acabou por ser um dos momentos mais importantes da invasão, e inspiraria o longo e árduo caminho dos portugueses e aliados até à derradeira vitória sobre as tropas do temível Napoleão.

Recorrendo a uma pesquisa exaustiva, Isabel Ricardo oferece-nos um bilhete para um dos períodos mais importantes da História de Portugal.

O povo lutou com bravura durante as Invasões Napoleónicas e a sua atitude foi crucial em certos momentos. Lutou com todas as armas que tinha e para a história ficam feitos incríveis de homem e mulheres do povo que tudo deram e fizeram para proteger a sua vida e a sua pátria. 

É com a “A Revolução da Mulher das Pevides” e com a Isabel que este mês vos convido a fazer uma viagem ao passado, para conhecer mais algumas das personagens que fizeram história e que raramente nos são faladas nos manuais da escola. 
Tal como em O último Conjurado, é-nos reservada uma aventura apaixonante, cheia de personagens cativantes e baseada em factos históricos, fruto de uma intensiva e dedicada pesquisa feita pela autora. 

Este livro tem lançamento marcado para dia 6 de novembro e estará disponível em qualquer livraria, por isso não há desculpas.

Leiam romance histórico, leiam autores portugueses, mas sobretudo leiam!

Boas leituras!