segunda-feira, 16 de março de 2015

Canções com história #2 - A Balada do Desajeitado


Para quem ainda não sabe, eu colaboro no jornal mensal da Banda Filarmónica da Erada com alguns artigos e Canções com História é um deles. Gosto tanto de fazê-lo que resolvi partilhar aqui no blogue.
A música é a minha grande paixão. Todo o tempo que dedico a ela é precioso e encontro sempre algumas histórias que acho que devem ser partilhadas. Espero que gostem. 




No mês do amor (Jornal de Fevereiro), não podía deixar passar uma das músicas mais cantadas e rodadas na rádio nos últimos tempos. 
A Balada do Desajeitado é o tema que colocou os D.A.M.A. no panorama da música portuguesa. Muito rodada nas rádios nacionais e com o seu vídeo com cerca de 4 milhões de visualizações no YouTube.
D.A.M.A., sigla para a expressão “Deixa-me Aclarar-te a Mente, Amigo” é uma banda lisboeta composta por Francisco M. Pereira (Kasha), Miguel Coimbra e Miguel Cristovinho. 
Francisco e Miguel Coimbra, são amigos de infância e criaram este projecto musical que mais tarde Miguel Cristovinho veio integrar. 
A Balada do Desajeitado faz parte do álbum Uma Questão de Principio, que chegou às lojas em Setembro de 2014, onde se podem ouvir outros temas contagiantes como Luisa e Às vezes. 




Eu não sei
O que é que te hei-de dar
Nem te sei
Inventar frases bonitas

Mas aprendi uma ontem
Só que já me esqueci
Então olha só te quero a ti

Sei de alguém
Por demais envergonhado
Que por ser tão desajeitado
Nunca foi capaz de falar

Só que hoje
Viu o tempo que perdeu
Sabes esse alguém sou eu
E agora eu vou-te contar

Sabes lá
O que é que eu tenho passado
Estou sempre a fazer-te sinais
E tu não me tens ligado

E aqui estou eu
A ver o tempo a passar
A ver se chega o tempo
O tempo de te falar

REFRÃO

Podes crer
Que à noite o sono é ligeiro
Fico á espera o dia inteiro
Para poder desabafar

Mas como sempre
Chega a hora da verdade
E falta-me o á vontade
Acabo por me calar

Falta-me jeito
Ponho-me a escrever e rasgo
Cada vez a tremer mais
E ás vezes até me engasgo

Nada a fazer
É por isso que eu te conto
É tarde para não dizer
Digo como sei e pronto

REFRÃO

Esta canção é sem dúvida contagiante e anda nas bocas de todo mundo, mas o que muitas pessoas não sabem é que esta balada já encanta há muitos anos. 
Este tema é um original da banda Quadrilha e faz parte do álbum Entre Luas (1997).
Quadrilha é uma banda portuguesa de música folclórica, cujo estilo resulta da fusão de elementos da música tradicional portuguesa e da música celta. Formada em 1991 por Sebastião Antunes, mentor, compositor, letrista e intérprete, dela já fizeram parte inúmeros instrumentistas. Conta já com seis álbuns lançados e mais virão com certeza. 
Sebastião Antunes é um génio do nosso panorama musical que admiro muito e mais tarde volto para voltar a falar dele e da Quadrilha. 



Espero que tenham gostado. 
Oiçam musica portuguesa, não tenham medo da música tradicional e pesquisem pois há muito para descobrir. Boas surpresas vos aguardam. 
Para o mês que vem volto com mais uma canção com história.